Portal da Cidade Maricá

SUPERA MAIS

Niterói lança programa de apoio financeiro a pequenas empresas

O programa inscreve para acesso a empréstimos com juros pagos pelo Município e carência de até 10 meses para início do pagamento, em até 36 parcelas

Postado em 23/07/2020 às 18:10

O programa Supera Niterói já beneficiou 220 empresas com empréstimos a juros zero. (Foto: Bruno Eduardo Alves / PMN)

A Prefeitura de Niterói lançou nesta quinta-feira (23) o programa Supera Mais, que vai garantir o acesso a crédito para microempresas e pequenas empresas sediadas na cidade com faturamento anual inferior a R$ 1 milhão.

Os empréstimos serão feitos com recursos do município e serão disponibilizados por meio da Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro (AgeRio).

A solenidade de lançamento foi no Solar do Jambeiro, no Ingá, e contou com a presença de um grupo reduzido de pessoas, obedecendo as regras de isolamento social, e transmitida ao vivo pela página da Prefeitura de Niterói no Facebook.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, explicou o funcionamento do programa, que é uma evolução do Supera Niterói, lançado em abril deste ano e que se utilizava de empréstimo bancário, com juros pagos pela Prefeitura, para auxiliar os empresários.

No entanto, graças à parceria com a AgeRio, o Supera Mais não vai depender de bancos como o Niterói Supera. O programa deve conceder cerca de R$ 30 milhões em crédito, alcançando até mil empresas da cidade.

Giovanna Victer disse que o Supera Niterói beneficiou 220 empresas com empréstimos a juros zero, num total de R$ 18 milhões em financiamento, mas que muitas empresas de pequeno porte tiveram dificuldades para apresentar as garantias exigidas pelo banco e ficaram de fora do programa.

Segundo a secretária, essas empresas poderão ser beneficiadas pelo Supera Mais.

“Muitas empresa pequenas de Niterói, em dificuldades financeiras por causa da pandemia do novo coronavírus, estão com dificuldades para conseguir crédito. Para fugir da garantia exigida pelas instituições financeiras, a Prefeitura contratou a AgeRio, que tem autorização do Banco Central para operar. Vamos dar prioridade para quem ficou fechado por mais tempo ou que atua em área de restrição das suas atividades, preservando empregos” disse Giovanna Victer.


O Supera Mais tem os seguintes limites para financiamento de Capital de Giro: até R$ 20 mil para profissionais autônomos e liberais; até R$ 50 mil para microempresas; e até R$ 80 mil para empresas de pequeno porte com faturamento de até R$ 1 milhão.

Já se cadastram 662 empresas, que agora terão de enviar a documentação exigida para a Secretaria Municipal de Fazenda, que vai fazer a intermediação com a AgeRio.
Para que haja transparência, todos os dias, à noite, o andamento de cada processo será disponibilizado no site da Secretaria de Fazenda e no Portal Transparência para que os empresários e toda a população possam acompanhar a evolução do programa.
Nesse boletim diário, os empresários também podem verificar se há pendências, como falta de algum documento que esteja atrasando o andamento do processo.
Antes de ter acesso ao crédito, o empresário terá que participar de um curso do Sebrae, de 3 horas/aula, com orientações de como utilizar os recursos e recuperar a saúde financeira da empresa.
“Esse curso é muito importante para que o empresário saiba aplicar bem esses recursos e consigam sustentabilidade para pagar o empréstimo depois dos dez meses de carência”, disse a secretária de Fazenda.

A presidente do Sebrae-RJ, Juliana Ventura, disse que no curso o empresário vai aprender a se planejar e retomar o rumo do seu negócio.

“Não se trata de só um empréstimo pelo empréstimo. É preciso saber como utilizar bem esse dinheiro e se planejar para, após esses dez meses de carência, ter condições de quitar as parcelas da dívida”, disse Juliana Ventura.

O presidente da AgeRio, Alexandre Rodrigues, disse que a agência teve que redirecionar todos os seus recursos deste ano para um plano emergencial assim que começou a pandemia e que o financiamento das pequenas empresas de Niterói não seria possível sem o aporte de capital feito pelo município.

“Essa ação de Niterói é importante porque os recursos estão escassos e principalmente porque o micro e pequeno empresário têm dificuldades de acesso ao crédito porque não têm como oferecer garantias para a captação de recursos no mercado financeiro”, destacou Alexandre Rodrigues.

O empresário Giovani Vargas inscreveu-se no programa e disse que sua academia de ginástica ficou em situação difícil depois de meses com as portas fechadas por causa das medidas de isolamento social.

“Reabrimos no início da semana, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária, mas com poucos alunos e com o caixa bem baixo. Esse apoio da prefeitura chega na hora certa. É o oxigênio que faltava”, disse Giovani.

 O presidente do Clube dos Diretores Lojista (CDL) de Niterói, Luiz Vieira, também elogiou a iniciativa da Prefeitura de socorrer micro e pequenas empresas da cidade.

“O Supera Mais atende à grande expectativa dos empresários da cidade. Retomamos as atividades, mas ainda não conseguimos retomar àquele nível de receita de antes da pandemia. As vendas ainda estão muito incipientes. Eu não conheço no Brasil alguma cidade que tenha ajudado o empresariado nessa retomada da economia”, destacou Luiz Vieira.

Fonte:

Receba as notícias de Maricá no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário