Portal da Cidade Maricá

Maricá
206 anos

História de Maricá - RJ

A HISTÓRIA DE MARICÁ

O município de Maricá teve seu povoamento civilizatório iniciado em Janeiro de 1574, após a adoção de sesmarias pelos colonizadores portugueses, no litoral compreendido entre Itaipuaçu e a lagoa de Maricá. Mas, muito antes da chegada dos colonizadores europeus, a região foi habitada por povos indígenas vindos da Amazônia. Quando os portugueses chegaram à região, no século XVI, ela era habitada pela nação tupi dos tubinambás, também conhecidos como tamoios. A divisão da região em sesmarias pelos colonizadores teve início nas últimas décadas daquele século.

O Padre José de Anchieta chegou às margens da Lagoa em 1584, onde foi realizada a célebre pesca milagrosa. Ele encontrou diversos núcleos de povoamento na região, destacando-se as sesmarias de Manoel de Teixeira junto à lagoa e a de Antônio Mariz em São José de Imbassaí. Essa última, inclusive, foi a região onde a colonização se desenvolveu mais, circundado a lagoa localizava-se a Fazenda de São Bento, pertencente à ordem dos monges beneditinos do Rio de Janeiro, e à época foi uma das maiores criadoras de gado e fornecedoras de carnes da Capitania.

A capela de São José de Imbassaí foi erguida em 1675, a construção contava com uma arquitetura de valor histórico e ambiental de estilo jesuítico. Já a primeira capela de Nossa Senhora do Amparo foi erguida na segunda metade do século XVII, dando início ao crescimento do povoamento do município.

A construção da Paróquia que conhecemos hoje teve início em 1788, mas só foi concluída no século XIX. A Vila de Santa Maria de Maricá foi formada em 1814 que, posteriormente, perdeu sua autonomia e foi anexada à Niterói, readquirindo-a em 1833. A construção da EFM (Estrada Férrea de Maricá) trouxe um grande crescimento, elevando Maricá à categoria de Cidade em 1889. Nesse mesmo ano foi inaugurado o trecho que ligaria até Itapeba e depois a Manoel Ribeiro. Através do Governo Federal o trajeto foi levado até cabo Frio, fazendo o entrosamento com a Central do Brasil na capital.

Através dos trens, um dos meios de locomoção mais utilizados na época, os pescadores locais levavam seus peixes para venda nos mercados de Niterói, São Gonçalo e Rio de Janeiro. Para transportá-los, os comerciantes eram obrigados a salgar os peixes devido às grandes distâncias e a dificuldade de locomoção, já que a exportação para Niterói e Rio de Janeiro era demorada. Além da pesca, que sempre despontou na cidade, outro produto bastante vendido era a banana, que também era escoada da mesma maneira.

Com a implantação da Rodovia Amaral Peixoto (a RJ-106), no século XX, a cidade teve um grande crescimento da sua indústria de construção civil, principalmente para casas de veraneio e equipamentos turísticos, além de comércios e outras indústrias. A implantação da Ponte Rio Niterói também atraiu novas residências e empreendimentos imobiliários, contribuindo para a arrecadação do IPTU para a prefeitura.

Atualmente a economia da cidade é fortemente baseada na produção de petróleo, uma vez que seu litoral fica defronte à bacia de Santos. O campo de Lula, explorado pela Petrobrás, é o principal responsável pelas receitas dos royalties aos cofres públicos, tornando a cidade uma das que mais recebem essas receitas no estado do Rio de Janeiro.

O município de Maricá está localizado na região metropolitana do estado do Rio de Janeiro há uma distância de 60 km da capital e faz divisa territorial com Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Saquarema e Tanguá. Há três possíveis explicações para a origem do nome Maricá: a principal é que se trata do nome, em tupi antigo, de uma espécie de planta leguminosa, a maraká. A segunda seria o nome de uma árvore nativa da região e que significa “espinheiro” também na linguagem tupi-guarani. E a terceira seria o termo “mori” derivado do indo-europeu, que significa lago.

Curiosidade

Um dos principais visitantes ilustres que já passaram pela cidade foi o naturalista Charles Darwin, que chegou com sua equipe em Abril de 1832 à localidade de Itaocaia, vindos da Inglaterra com o objetivo de criar cartografia para novas rotas de navegação e descobrir recursos naturais para comercialização. Durante essa missão, ele teve um dos seus primeiros contatos com a Mata Atlântica, na Serra da Tiririca numa estrada entre Niterói e Maricá, região onde realizou pesquisas.

Seus estudos, anotações e pesquisas na região também foram utilizados para a formulação da sua famosa Teoria da Evolução e o princípio da seleção natural. Atualmente há um projeto que visa revitalizar o trajeto feito por Darwin em 1832. Projeto que surgiu em 2009 em comemoração pelos 200 anos de nascimento do naturalista inglês. A trilha, que corta as cidades de Maricá e Niterói, fica localizada no Parque Estadual da Serra da Tiririca e integra o projeto Caminhos de Darwin.

Além de despontar entre as cidades que mais vêm se desenvolvendo no estado do Rio de Janeiro, Maricá também se destaca pela sua natureza exuberante, sendo uma das poucas cidades que abriga em seu território uma diversidade de biomas. Entre eles, destacam-se sua extensa e ininterrupta faixa litorânea, que conta com nove praias, começando em Itaipuaçu e indo até Jaconé, onde faz divisa com o município de Saquarema, além de um imponente complexo lagunar, montanhas e cachoeiras.

Outro fator que destacou o município a nível nacional foi a criação da Empresa Pública de Transportes (EPT), em 2014. Adotando uma política de tarifa zero no transporte público, oferecendo à população e aos visitantes, o deslocamento gratuito dentro do seu território, através de uma frota de ônibus com diversas linhas, popularmente chamados de vermelhinhos.

Duas datas comemorativas também colaboram para o destaque da cidade na região: o Carnaval e o Natal. O primeiro é comemorado como na maioria do país, diversos blocos de rua, bandas carnavalescas, desfiles das escolas de samba locais, além de palcos espalhados estrategicamente pela cidade que recebem shows de artistas famosos.

Já o Natal passou a despontar nos últimos anos, com uma vasta decoração típica da data ao longo do território, em especial, na praça central da cidade, a praça Orlando de Barros, e na orla revitalizada de Araçatiba, onde acontece o desfile do Papai Noel. Evento que vem atraindo cada vez mais turistas devido a sua grandiosidade e encanto.

Embora esteja em pleno desenvolvimento socioeconômico, a cidade consegue conciliá-lo a um ar bucólico, típico de cidades interioranas. Maricá possui um povo que também compõe um patrimônio imaterial inestimável, além é claro, dos seus patrimônios culturais e naturais que saltam aos olhos dos visitantes.



Colaboração: Jornalista Luiz Felipe